+A  | -A  |  

Comitê Científico do Nordeste é referência mundial

O Comitê Científico do Nordeste tem se tornado referência mundial no combate ao novo coronavírus. Sua atuação junto aos governadores da região foi mencionada em entrevista para a revista científica mais prestigiada do mundo, a Nature, como um exemplo a ser seguido no Brasil.

O Comitê foi citado pelo físico Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências do Rio de Janeiro, em entrevista sobre o impacto de atitudes anticientíficas e cortes no orçamento do país, bem como possibilidades de pesquisa pós-pandemia. Quando perguntado sobre partes do país em que funcionários do governo estariam mais abertos a aconselhamento científico, ele mencionou o Nordeste como um bom exemplo.

“Essa é uma das regiões mais pobres e há muito mais cientistas no Sudeste do que no Nordeste. Mas em março, um comitê científico foi formado para ajudar os governadores dos estados da região. O comitê publicou relatórios sobre o desenvolvimento da ciência e maneiras de restabelecer o que chamamos de ‘nova normalidade’ no país. Eles estão em contato próximo com os governadores e esse é um bom exemplo para todo o país”, disse Davidovich.

Para o governador do Piauí, Wellington Dias, entusiasta da ciência e incentivador de pesquisas científicas no Estado para o enfrentamento da Covid-19, o reconhecimento do trabalho que vem sendo realizado no Nordeste é importante para próximos passos firmes que resultem em soluções para a grave crise sanitária que se estabeleceu devido ao vírus.

“Aqui no Piauí temos caminhado ao lado da ciência e, com base nas orientações do Comitê Científico, temos tomado medidas que tem nos garantido uma situação de conforto em relação a ouros estados. Temos como destaque o Programa Busca Ativa, casado com avaliação clínica, tratamento precoce e disponibilidade para exames, chegando agora às 28 mil pessoas examinadas. Também temos como foco o cadastro das pessoas com mais de 60 anos e das com comorbidades no aplicativo Monitora Covid-19, além do rastreamento, por meio de testes rápidos, de quem está na fase de transmissibilidade da doença”, pontuou.

Comitê Científico do Nordeste

Formado por médicos, cientistas, físicos e pesquisadores, o comitê foi criado em março com o intuito de auxiliar os governadores dos estados do Nordeste na tomada de decisões sobre as ações de enfrentamento à pandemia causada pelo coronavírus.
Dentre as ações já definidas estão a utilização do aplicativo Monitora Covid-19, que permite a hierarquização dos usuários por prioridade de risco. Nele é feito o atendimento remoto e registro das informações, o monitoramento e acompanhamento dos cidadãos, sendo possível que se aprenda com o comportamento da pandemia e das pessoas no território para desenvolver ações ainda mais efetivas de combate à pandemia.

Outra decisão tomada foi a de estimular a produção de máscaras caseiras e sua utilização cotidiana, além da recomendação de ampliação da testagem dos profissionais de saúde e adoção de um protocolo unificado de proteção, mesmo considerando a dificuldade de compra de insumos, materiais e equipamentos.